Evolução

Do Teccred ao Teccog: uma linha do tempo

Vinculado à Universidade Federal do Amapá, o Tecccog já acumula uma trajetória importante no campo da comunicação e tecnologia. Desde seus primeiros passos, na Faculdade Cásper Líbero, e seu crescimento na Universidade Metodista de São Paulo, o espírito do grupo segue pautado pelo caráter cooperativo de seus integrantes e seu forte caráter científico. Isso pode ser constatado a partir de sua evolução e crescimento ao longo dos últimos anos.

2006
A primeira atividade do Grupo, promovida pelos líderes Sérgio Amadeu e Walter Lima, ocorreu em 12 de dezembro daquele ano, às 17h, na sala Citibank da Faculdade Cásper Líbero. O encontro, que contou com a presença de alguns pesquisadores. discutiu os objetivos do Grupo, batizado Comunicação, Tecnologia e Cultura da Rede (Teccred) e suas atividades no ano seguinte.

2007
As reuniões do Grupo, concentradas no primeiro semestre, foram importantes para definições embrionárias: ementa, palavras-chave e vetores que definiriam os métodos de trabalho, incluindo realização de eventos e palestras, formatação de projetos temáticos e pesquisa por editais de fomento.

2008
Após praticamente um ano sem encontros periódicos, as atividades do Grupo (incluindo discussão de leituras e palestras) foram retomadas no segundo semestre daquele ano. Ainda sob a coordenação de Sérgio Amadeu, alunos ligados ao Grupo lançaram seu primeiro e-book: Olhares da Rede, sintetizando o pensamento de cinco autores relacionados ao universo das redes digitais.

2009
O ano começou com a formalização da rede de Pesquisa Aplicada Jornalismo e tecnologias digitais da SBPjor – a Rede JorTec, constituída por grupos e pesquisadores de 28 instituições brasileiras. A atuação do Grupo de Pesquisa foi fundamental para abrir este caminho, com o intuito de criar uma nova cultura dentro do campo da comunicação. O Tendências Conectadas se consolida como evento permanente do grupo, com sua terceira edição realizada em 6 de junho. Uma proposta relacionada a educação pública, que seria construída a partir de um portal colaborativo, foi esboçada pelo Grupo. A intenção seria cruzar dados e produzir um relatório a ser apresentado à sociedade meses antes da eleição municipal de 2012. Outra iniciativa chegou a ser discutida: as possibilidades temáticas para elaboração de uma proposta de projeto com os pesquisadores do Institute of Network Cultures, da Holanda.

2010
Repleto de atividades intensas, o ano foi marcado pela aprovação pelo CNPq e execução do Projeto Temático “Observatório da Mídia Social Conectada – Eleição Presidencial Brasileira de 2010”, rebatizado Neofluxo. O Teccred tornou-se o primeiro grupo de pesquisa da Casper Líbero a ter um projeto de pesquisa financiado. O ano foi marcado ainda pela realização do último Tendências Conectadas, em junho, bem como a organização do I Seminário Internacional de Jornalismo Online, em maio, e o I Science ‘n Fiction, seminário sobre ficção científica e ciência, em outubro. Também foi esboçado o projeto temático relacionado a TV Social, relacionando conhecimentos à mídia social conectada e IPTV.

2011
Em 9 de dezembro, o grupo realizou sua última reunião na Casper Líbero antes da mudança para a Metodista. Não foi apenas o anúncio da mudança de nome: novas estratégias e possibilidades mais abrangentes foram apresentadas. No último ano do Teccred, destaque para o e-book “Comunicação, Tecnologia e Cultura de Rede”, lançado tanto virtualmente quanto num encontro presencial com seus autores em outubro. O projeto Neofluxo também entrou em sua reta final: para a etapa de mineração de dados, o grupo realizou um curso sobre o tema, pautado por uma atividade prática em bancos de dados MySQL. Foram desenvolvidos ainda os projetos sobre Sistemas de Revância e Informação Hiperlocal, bem como o WebSocial TV.

2012
Com a mudança de casa, os projetos Informação Hiperlocal e WebSocial TV também foram transferidos para o novo Grupo de Pesquisa Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva – Tecccog. Além da formatação dos projetos, somado à produção do relatório final do Neofluxo, o grupo tratou de promover sua integração à linha de pesquisa Inovações Tecnológicas na Comunicação Contemporânea, apoiando palestras relevantes e promovendo outros dois encontros: um sobre a conexão entre cognição e tecnologia, com o professor da Poli/USP João Eduardo Kogler, e outra com Capi Etheriel, sobre dados e software livre.

2013
Para consolidar o amadurecimento científico e a filosofia do grupo, o Tecccog promoveu o seu primeiro Seminário em março, trazendo reflexões em conjunto entre pesquisadores e seus objetos de pesquisa. O evento contou ainda com o jornalista professor da USP Vinícius Romanini, que falou ao público sobre transdisciplinaridade.

2014
Além da realização do I Encontro Internacional de Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva (EITCCC) em maio, o grupo marcou presença em debates pertinentes com o lançamento de dois e-books: “Projeto Neofluxo: atuação eleitoral do Astroturfing no fluxo informativo na Web”, pioneiro na análise do uso de redes sociais em campanhas eleitorais, e “Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva”, com artigos que refletem o pensamento dos membros do grupo.

2015
O ano terminou com o último evento realizado na Universidade Metodista: o segundo EITCCC. Também neste ano, o grupo conduziu novas edições do Encontro Temático do Grupo de Pesquisa Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva (Temacog). Por fim, a Revista Brazilian Journal Technology, Communication, and Cognitive Science, publicada pelo grupo, foi incluída no sistema de classificação Qualis, no estrato B4.

Leave a Reply